Locais a visitar em Arcos Valdevez

Porque o Parque Nacional Peneda-Gerês é mais do que bonitas paisagens naturais e apaixonantes trilhos; Quinta Lamosa Ecoturismo deixa-vos aqui nota de dois locais que contam a historia de “ Onde Portugal se Fez”. Locais a visitar pelo seu simbolismo e interesse patrimonial e que enriquecem a cultura de quem os visita

#Centro Interpretativo do Barroco

A igreja do Espírito Santo torna-se na primeira em Portugal dotada de realidade aumentada, proporcionando uma viagem até às origens da cultura Barroca do Alto Minho.

Situada no centro histórico, na parte mais alta da vila, nos jardins centenários, apresenta-se a Igreja do Espírito Santo. Teve o início da sua edificação em 1647, sendo a confraria com o mesmo nome a mandatária uma vez que se tinha estabelecido na vila desde 1549. O período da sua construção prolongou-se durante trinta e quatro anos. Porém, após o término, sofreu obras complementares ainda no séc. XVII e na primeira metade do século XVIII, tendo sido construída a torre sineira e a capela-mor ampliada. No século XIX foi levantada a actual fachada.
De planta longitudinal, é formada por uma nave e capela-mor. A fachada delimitada por duplas pilatras forma três panos com o central em saliência. Neste pode-se observar o rasgo da porta em verga recta encimado pela janela também em verga recta. Termina com frontão triangular tendo centrado um óculo. Adossada a esta, no lado esquerdo, a torre sineira quadrangular com quatro sineiras em aberturas em arco de volta perfeita..
Este templo vale pelo interior, com elementos em talha dourada barroca, pelos seus retábulos e caixotões da capela-mor, formando com os dois púlpitos do barroco joanino. Local a visitar pela admirável arte barroca que s encontra perfeitamente restaurada no seu interior.

#Paço de Giela

O Paço de Giela é um exemplar notável de arquitectura civil privada medieval e moderna, considerado um dos mais importantes Monumentos Nacionais, assim classificado em 1910.
A sua origem está profundamente ligada à formação da importante “Terra de Valdevez”. A edificação da “casa-torre” de Giela marca um novo momento de protecção e domínio senhorial e régio sobre a região, destacando o edifício pela sua profunda originalidade e importância. Actualmente é visível a torre medieval bem como o corpo residencial, com janelas “manuelinas” e entrada fortificada, maioritariamente edificado no século XVI. A torre terá sido construída em meados do século XIV, substituindo uma pequena torre abandonada no século XI, e correspondendo a uma fase de ocupação de forte influência medieval e de vigor dos castelos.
Depois de adquirido pela edilidade, apresenta-se agora totalmente recuperado, através de um projecto inovador de reabilitação que respeita a importância, história e necessidades funcionais atuais. A torre é o elemento que integra um espaço musealizado, incorporando três pisos dedicados, respectivamente, à Arqueologia e ocupação humana do concelho durante os últimos milénios, à evolução e história do próprio monumento, bem como ao importante momento ligado à formação de Portugal, o denominado “Recontro de Valdevez”, ocorrido em 1141, e que opôs Afonso Henriques a seu primo Afonso VII de Leão e Castela.
Por todas estas razões, o Paço de Giela é um local de visita obrigatória no concelho e na região, proporcionando momentos únicos de contacto entre o Passado e os novos modelos de abordagem e recuperação/valorização patrimonial.

Pin It on Pinterest

Share This
%d bloggers like this: